FOLHA DE SÃO PAULO PREFERE ARMAR UM FLAGRANTE PARA CAUSAR MANCHETE COM JAIR BOLSONARO DO QUE ENCAMINHAR DENÚNCIA CONTRA ELE AO MPF-DF

Deputado federal, Jair Bolsonaro (PSC/PSL)

Por Sérgio Torres
Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil (Fotos Públicas)
Sexta-feira, 12/01/2018
____________________________________________________________

A perseguição implacável do jornal Folha de São Paulo ao deputado federal e pré-candidato a presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), já resultou em matérias com cinco suspeitas de atos ilícitos. A primeira é por suposição de enriquecimento com uso da carreira política, a segunda é por apuração de grandes lucros resultantes de 19 transações imobiliárias, a terceira é por compra de imóvel com deságio (suspeita de lavagem de dinheiro), a quarta é por recebimento de auxílio-moradia da Câmara sem necessidade e a quinta é por utilização de funcionária fantasma em Angra dos Reis (RJ). Essa última, inclusive, com fotos e informações suficientes para encaminhar uma denúncia ao Ministério Público Federal do Distrito Federal-MPF-DF. Entretanto, o jornal paulistano ainda prefere armar um flagrante de reportagem com o deputado e vender manchete de primeira página do que acionar os trabalhos dos promotores. 


PERSEGUIÇÃO IMPLACÁVEL

Denúncias da Folha de São Paulo contra Bolsonaro:

-Patrimônio de Jair Bolsonaro e Filhos se multiplica na política (07/01/2018);

-Filho de deputado federal negociou 19 imóveis e fez transações-relâmpago (07/01/2018)

-Bolsonaro comprou por R$ 900 mil duas casas que valeriam R$ 3.290 milhões (07/01/2018)

-Com imóvel próprio, Bolsonaro ganha auxílio-moradia na Câmara (08/01/2018);

-Bolsonaro emprega servidora fantasma que vende açaí em Angra (12/01/2018).


Inclusive, na terça-feira, 9, o deputado Jair Bolsonaro divulgou uma denúncia contra o grupo do jornal Folha de São Paulo apontando seu portal de notícias Universo OnLine S/A (UOL), o mais acessado da internet brasileira, como tendo recebido aporte de R$ 225 milhões via Financiadora de Estudos e Pesquisas-FINEP (recursos públicos) durante os governos PT.